O QUE É UM VERDADEIRO DISCÍPULO?

O QUE É UM VERDADEIRO DISCÍPULO?

 

por Nancy Missler

 

O que é exatamente um verdadeiro discípulo de Cristo? A resposta é: Um verdadeiro discípulo tem “um estilo de vida compatível com sua crença.”

 

Já dissemos sobre o poder sobrenatural de Deus, e que para esse poder se tornar aparente, “toda auto-confidência e auto-dependência devem ser expostas, arrependidas e colocadas na Cruz.” Se somos vasos limpos e abertos, então Deus pode usar Seu poder através de nós em Seu plano de redenção. Então qual é a diferença entre um crente que vive por si mesmo, segue seus próprios desejos e depende apenas de sua própria força e um Cristão o qual deixou tudo ao pé da Cruz, vive apenas para Cristo e depende apenas de Seu poder?

 

Como podemos separá-los? O que realmente é um discípulo de Cristo? A resposta é: Um verdadeiro discípulo tem “um estilo de vida compatível com sua crença.”

 

Um verdadeiro discípulo de Cristo não é aquele que apenas “está em Cristo”, no sentido de que recebeu o Espírito de Deus, mas aquele que também “vem de Cristo”, no sentido de que ele está vivendo a Vida de Cristo, Seu Amor, e Seu poder. Em outras palavras, ele não está apenas indo atrás de Cristo e escutando Seus sermões, ele também está obedecendo e fazendo o que ele ouve. Não é porque somos seguidores de Cristo que necessariamente sejamos “verdadeiros discípulos”. Lembram de Judas? Ele era um seguidor de Cristo, mas não um verdadeiro discípulo (João 12:4). Ser um verdadeiro discípulo é mostrar que as ações da vida estão de acordo com nossa crença. Um verdadeiro discípulo não apenas proclama a mensagem de Cristo com suas palavras, mas também mostra a Vida de Cristo em suas ações. (Gálatas 5:25).

 

Um verdadeiro discípulo é aquele que faz a vontade de Deus. Ele é aquele que nega a si mesmo, pega sua cruz, e segue Cristo (Marcos 8:34). Ele é aquele que abandonou tudo da maneira a seguí-Lo (Lucas 14:33).

 

Tudo que o Paulo ensinou em suas epístolas, ele realmente as vivia diariamente. Ele diariamente andava pela fé e não por vista (2 Coríntios 5:7). Ele pregava o evangelho e ensinava todos os conselhos de Deus, “não na letra que mata”mas no poder do “Espírito que vivifica” (Romanos 1:16; 2 Coríntios 3:6). Ele sofreu todo tipo de perseguição por causa do Senhor (2 Coríntios 11:23-27; Romanos 8:17-18). Tudo o que ele fazia, ele fazia de forma que pudesse compartilhar a glória de Cristo. Sua vida era, em todos os sentidos, um padrão a ser seguido. Paulo também nos disse que se tivermos que nos exaltarmos, o façamos apenas em nossas enfermidades. De maneira que o Senhor seja glorificado, não nós.

 

Paulo via na doença não uma fraqueza, mas um meio de render-se totalmente a Deus. “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco, então é que sou forte.” (2 Coríntios 12:10).

 

Um verdadeiro discípulo de Cristo então, é aquele que fez toda uma reorganização de sua vida. Ele constantemente refreia sua vida para a vida do Senhor e, em troca, Cristo dá a Sua a ele. Ele é aquele não fica apenas gastando tempo com a Palavra, mas ele também vive o que prega. O poder parece ser a marca de um verdadeiro discípulo de Cristo (2 Coríntios 12:9). A fraqueza (ou a necessidade Dele) é o pré requisito para esse tipo de poder divino.

 

Um verdadeiro discípulo está sempre preocupado em primeiramente aplicar a verdade em sua pessoa. Então ele se torna desejoso de compartilhar o que ele aprendeu. “porque não ousarei falar de coisa alguma senão daquilo que Cristo por meu intermédio tem feito, para obediência da parte dos gentios, por palavra e por obras,” (Romanos 15:18). A verdade de Deus deve primeiramente ser personificada na vida do discípulo antes de ser compartilhada.

 

Uma coisa é você conhecer os princípios de Deus em sua mente, mas outra totalmente diferente é caminhar nesses princípios em sua vida do dia-a-dia.

 

Cristo disse que nossa missão é sair e fazer discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, Filho e Espírito Santo, e os ensinando a observar tudo o que o Senhor nos disse em Sua Palavra (Mateus 28:18-20). Não apenas falar do evangelho pra eles, mas na verdade mostrar a eles como vivê-lo.

 

Características de um Verdadeiro Discípulo

 

Vamos contrastar as características de um verdadeiro discípulo ou um Cristão de fé com um nominal ou Cristão sem fé. Veja se consegue se identificar em um desses tipos de crentes que vamos descrever.

 

Um Cristão espiritual e de fé é, como já falamos, uma pessoa que não apenas nasceu de novo, mas aquele que também habita e caminha pelo poder do Espírito Santo, assim produzindo frutos (Gálatas 5:22; João 15:2, 5, 8). Ele permitiu que Deus reine em suas próprias emoções e desejos, de maneira que suas obras são feitas através do poder de Deus, não da carne (1 Pedro 1:2; 1 Tessalonicenses 5:23). Sua motivação para falar, sua força para trabalhar e sua razão para viver é simplesmente o Amor de Deus (1 Timóteo 1:5). Ele está mais preocupado sobre o que Cristo pensa dele, do que o que os outros pensam. A presença de Cristo nesse crente traz “uma paz que supera todo o entendimento” (João 16:33, 2 Coríntios 2:14).

 

Umas das maiores características que esse Cristão espiritual deveria mostrar estão apresentadas em Gálatas 5:22. Ele deve ser cheio “da fruta do Espírito” como evidência do Amor (Agape), júbilo, paz, paciência, gentileza, bondade, fé, perseverança, temperança. Essas características todas se manifestam na humildade (Lucas 14:11).

 

4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece,
5 não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal;
6 não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade;
7 tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8 O amor jamais acaba;

 

– 1 Coríntios 13(4-8)

 

5 E por isso mesmo vós, empregando toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência,
6 e à ciência o domínio próprio, e ao domínio próprio a perseverança, e à perseverança a piedade,
7 e à piedade a fraternidade, e à fraternidade o amor.

 

– 2 Pedro 1:5-7

 

Alguma dessas características descrevem você? Se sim, então 2 Pedro 1:11 diz: …”fazendo isto, nunca jamais tropeçareis.
11 Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.”

 

Características de um Cristão Carnal (ou Secular, ou Nominal)

 

Ao contrário, um Cristão “carnal”, sem fé ou só nominal é aquele cuja carne o controla e não o Espírito de Deus (Hebreus 5:12-13). Ele é um crente salvo, mas ele ama o mundo e ele mesmo mais do que a Cristo. Desse modo ele age de acordo com seus próprios desejos e não os desejos de Deus. Ele simplesmente não deixa que Deus reine em seus pensamentos e emoções. Ele não consegue, pois o Espírito de Deus está aprisionado nele. Dessa forma, não existe transformação na vida dessa alma (Romanos 12:1-2), não existe o Amor Ágape, não existe poder de ressurreição e nenhum fruto. (Romanos 7:22-24; Gálatas 5:17).

 

Esse tipo de Cristão carnal professa ter nascido de noto, mas ainda não se permitiu ir para a Cruz para negar sua própria vida (2 Timóteo 3:5). Ele afirma conhecer Deus, mas na verdade ele O nega na maneira como ele vive. Em Gálatas 5:19-21 nos diz que aqueles que vivem pela carne não herdarão o reino.

 

Ao invés de vencer a carne, o mundo e o inimigo pelo poder de Deus, Cristãos sem fé são vencidos por eles. A carne os governa, o mundo os aprisiona, e o inimigo encontra moradia nele. 

 

Algumas das características que um Cristão carnal e sem fé pode apresentar são: mal temperamento, raiva, impaciência, murmura, orgulho, gosta de aparecer, malícia, fofoca, palavrão, dureza, ciúme, espapismo, duvidoso e ódio. Ele também apresentam auto-confidência, auto-consciência, auto-exaltação, auto-recuperação, auto-importância, amor próprio, ambição e orgulho. No outro extremo do espectro, eles também podem ficar totalmente consumidos por eles mesmos através de auto-piedade, auto-condenação e dúvidas. De qualquer maneira, eles são orgulhosamente consumidos por eles mesmos e não por Deus (Romanos 7:18; 1 João 2:16).

 

Um Cristão carnal também faz de si próprio o centro das atenções e valores de seus desejos acima dos de Deus. Ele é um Cristão “sem” alma, pois sua vida dita as regras. Ele pode fazer as coisas corretas e as faz bem. Mas, as Escrituras nos dizem que toda boa obra da carne é uma abominação aos olhos de Deus.

 

Cristãos carnais dizem uma coisa, mas fazer outra. Eles também costumam ser falantes e chamativos, se fazendo ser o centro das atenções. Eles tendem a usar muitas palavras e atitudes para que pareçam ser mais avançados que os outros. Como resultado eles se tornam apontadores de dedos e julgam a todos. Fazer a obra de Deus é de última importância para eles; no entanto, eles sentem que tudo deve ser feito rápido para que tudo seja feito a fim de atrair a glória para eles mesmos. Eles não esperam no Senhor pelas Suas direções e Suas respostas. Ao invés disso, eles andam pela vista e não pela fé. Eles também possuem muitos dons, tendo grande talento e personalidades cativantes, mas ao mesmo tempo são fofoqueiros, ambiciosos e se bastam (1 Coríntios 3:1-3). No Velho Testamento, Saul, Salomão, Lot e Oséias tinham perfis semelhantes. (Ezequiel 18:24).

 

Muitos crentes carnais tentam satisfazer sua curiosidade estudando. Eles acham que conhecer algo mentalmente é a mesma coisa que a possuir experimentalmente. Logo, eles costumam ter pensamentos duplos, vivendo duas vidas. Eles têm uma abundância de conhecimento adquirido, mas muito pouco conhecimento revelado pelo Espírito. Eles não entendem que esse conhecimento crescente mental pode se transformar numa armadilha. Conhecimento mental pode vigorar nossa carnalidade e nos enganar ao acharmos que somos espirituais. O perigo disso é que o Espírito de Deus fica suprimido, dando governo ao reino da alma e do corpo. Deus desenhou o processo de santificação para remover todos os vícios como esses, de maneira que o Espírito Santos possa nos controlar e nos direcionar.

 

Tudo que um crente carnal fizer, ele o faz para mostrar e ganhar algo para si mesmo, mesmo que seja apenas o elogio dos homens (Isaías 29:13). Eles faz essas coisas por amor próprio, não para a glória de Deus. Lembre-se, a falta de Amor pelos outros mostra a negação de Cristo (1 Coríntios 13:1-4).

 

Algumas obras da carne de um Cristão carnal são “adultério, fornicação, lascívia, mentira, idolatria, magia, ódio, volatilidade, simulações, raiva, esquiva, seduções, heresias, fofoca, assasssinatos, bebedeira, revelações, e coisas do tipo”. (Gálatas 5:19-21) Obviamente eles não demonstram o fruto do Espírito (Hebreus 5:12-13). Eles “negam” Cristo através de suas ações (Mateus 10:33). Não existe o Amor Ágape vindo de suas vidas, nenhum poder sobrenatural é mostrado e nenhuma sabedoria divina é compartilhada. “Todo aquele que Me negar perante os homens, eu o negarei perante meu Pai.” (Mateus 10:33).

 

Perigos de Ser Carnal

 

É impossível para nós sabermos quem realmente é carnal ou espiritual. Só Deus sabe a verdade. Só Ele conhece nossos corações. Não somos os juízes! Isso é assunto de Deus em seu trono. Mas nos foi dito para sermos “produtores de frutos”. Nossas vidas tanto poderão mostrar os frutos do Espírito manifestado no Amor de Deus, como frutos estragados mostrados pela nossa carnalidade. (Lucas 8:14).

 

O perigo de sermos carnais é o de que podemos ter nascido de novo pelo Espírito de Deus (justificados) e ainda assim gastarmos 90% de nosso tempo no reino da carne e da alma. Se esse é o caso, nosso ministério, ou ensinamento e nossa pregação não produzirão nenhum fruto divino. O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; (João 6:63).

 

Os Cristãos carnais não apensa impedem que o poder de Deus flua através deles, mas ao escamotear sua própria santificação, eles impedem a salvação dos outros. Eles dão a falsa impressão do que um verdadeiro Cristão realmente é. Eles na verdade se tornam obstáculos a serem contornados no entendimento do verdadeiro evangelho, pois os descrentes olharão para eles e dirão: “Opa! Se isso é um Cristão, não quero fazer parte disso não!”

 

Se um Cristão carnal persiste em fazer as coisas do seu modo, ele nunca crescerá a uma maturidade completa. Isso resulta em pobreza espiritual, sem a possibilidade de um intenso revivamento dele mesmo, e muito menos nos outros. Vivendo dessa forma ele desacretida Cristo em todas as suas ações. A pior parte disso é quando a Palavra nos diz: “Se nós negarmos Cristo [em nossos atos], Ele nos negará perante o Pai”. “Negar a Cristo” nessa passagem não apenas se refere às nossas palavras sobre Cristo, mas também se refere a não refletirmos Ele em nossas vidas. Se não existir o “fruto do Espírito” em nossas vidas, não importam quantos versículos da Bíblia você saiba, continuarás a negar Cristo. O Senhor nos disse que se O negarmos aqui, Ele será forçado a nos negar perante o Pai. (A vontade de Deus é a de que neguemos a nós mesmos – totalmente rendidos e apartados de nossos próprios pensamentos, emoções e desejos – pegarmos nossa cruz e seguí-Lo. (Mateus 16:24).

 

O que também é preocupante nos Cristãos carnais e sem fé, é que eles não são mais movidos por um senso de urgência e vigília pela iminente vinda de Cristo. Eles foram tomados por um sonolento senso de complacência e não estão preocupados se estão preparados ou prontos ou qualificados para herdar o reino. Esse é um erro grave! Leiam o que está escrito em Hebreus 4:1 “Portanto, tendo-nos sido deixada a promessa de entrarmos no seu descanso, temamos não haja algum de vós que pareça ter falhado.”

 

Anúncios

7 comentários sobre “O QUE É UM VERDADEIRO DISCÍPULO?

    1. Infelizmente tem muita gente dentro da Igreja que acha que “é só ir na igreja” que está tudo resolvido. É como seguir Jesus só na caminhada para fazer um exercício físico e não fazer nada do que ele pede.
      Deus te abençoe irmão.

      1. OLHA, ESTAS FRASES DE EF. 6. 12. NÃO ESTA CONFERINDO COM A REALIDADE,OK?, ME EXPLICA MELHOR COMO VC INTENDE ESTE TEXTO. AT. L P SOUZA.

        Date: Wed, 18 Mar 2015 11:47:31 +0000 To: libertino10@hotmail.com

      2. Irmão, vou resumir MUITO pra você aqui agora, pois isso vai depender se você leu meu blog inteiro ou não. Resumindo: aqueles seres espirituais contra os quais temos que lutar (principados, potestades, etc..) que estão atualmente ainda nas regiões celestiais e nos afligem espiritualmente, estão querendo ser adorados se fazendo passar por alienígenas de outros planetas, enquanto, na verdade, são de outra dimensão. O que mostro aqui é, como no decorrer da história, isso tem sido propagado pelas elites illuminati e grupos ocultistas para acreditarmos no grande engano que se aproxima, que poderia enganar até mesmo os eleitos se isso fosse possível. A mentira alienígena (de outro planeta) pode levar a uma religião mundial rapidamente, pois o inimigo sabe que o tempo dele é curto. É tanta coisa que gostaria de te dizer que nem sei se te respondi em sua dúvida. Mas veja que o que apresento aqui não é outra coisa do que a passagem diretamente nos diz a respeito dos dardos flamejantes do inimigo, mas, como a Palavra de Deus é multidimensional em vários aspectos, só estou mostrando um motivo/explicação para esse fenômeno OVNI/Abdução que só faz aumentar exponencialmente no mundo de hoje. É um fenômeno sobrenatural e que tem suas origens nesses seres contra os quais temos que lutar contra e não são seres de outros planetas (como querem que acreditemos).

Os comentários estão desativados.