ENSAIOS: LUA DE SANGUE, TERCEIRO TEMPLO E HÍBRIDOS

SERÁ QUE A LUA DE SANGUE NA PÁSCOA DESSE FIM DE SEMANA MARCARÁ O INÍCIO DO FIM E A SEGUNDA VINDA DE JESUS? PREVISÕES CHOCANTES NESSA PÁSCOA FEITAS PELO RABINO ISRAELENSE VAKNIN QUE CONECTAM O PRESIDENTE DOS EUA COM OS TEMPOS FINAIS

second-coming

Um rabino místico que vive no sul de Israel está alertando todos os Judeus para orarem e se arrependerem com a aproximação da terceira Lua de Sangue do ciclo de quatro. O Rabino Amram Vaknin, que também previu os eventos da flotilha de Gaza e o incêndio da floresta de Carmel em 2010, e as Operações Pillar de Defesa em 2012 e a Edge em 2014, alerta de que Israel está prestes a encarar um grande julgamento e um perigo em potencial nos tempos atuais. Um dos estudantes do Rabino, Gil Nachman, falou no Breaking Israel News e, citando o sábio, explicou que o valor numérico da palavra hebraica para sangue, dam, que é 44, é uma alusão ao 44º presidente dos EUA. Vaknin previu que o 44º presidente trará um derramamento de sangue (dam) ao povo judeu. Devemos notar que o rabino fez essa previsão antes que o Presidente Barak Obama tivesse entrado no cargo. (Mais em inglês aqui).

ENCONTRAMOS ATIVISTAS DO MONTE DO TEMPLO NESSA PÁSCOA SE PREPARANDO PARA O TEMPLO DO FIM DOS TEMPOS (NO QUAL O ANTICRISTO IRÁ CORROMPER) AO ABATEREM UM CORDEIRO NUM “ENSAIO” DE SACRIFÍCIO DE PÁSCOA

third

Centenas de pessoas na segunda-feira se encontraram num “ensaio” de um sacrifício de Páscoa, que aconteceu no campo de uma escola em Kiryat Moshe, vizinha a Jerusalém. O cordeiro foi sacrificado pelos kohanim (membros de uma classe de sacerdotes) que representaram os vários estágios do sacrifício até o preparo (assado) do cordeiro e comendo-o. Essa foi uma demonstração de força pelos ativistas do Monte do Templo, e esse ano eles tem razões adicionais para celebrar, incluindo a recuperação do ativista senior Yehuda Glick de uma tentativa de assassinato e a possibilidade de que no próximo gabinete eles terão três ministros (Habayit Hayehudi’s Uri Ariel, Likud’s Miri Regev e Tzipi Hotoveli) os quais apóiam com entusiasmo a mudança do status do Monte do Templo para permitirem a oração judaica. O apoio para o estabelecimento rabínico veio do chefe de Jerusalém, o rabino Aryeh Stern, o qual participou da cerimônia e deu suas bênçãos aos organizadores. Apesar de tudo isso, os aspectos práticos da cerimônia foram um pouco patéticos, expondo a distância existente entre a imaginação e a Halakha e o mundo real. Fora do evento existia um protesto feito por dúzias de defensores dos direitos animais, os quais entraram em discussão com os participantes da cerimônia. (Mais em inglês aqui).

COMBINAR GENES DE HIENA COM NOSSO DNA PODERÁ PERMITIR QUE HÍBRIDOS DE HUMANOS COM ANIMAIS SOBREVIVAM AO FUTURO, ARGUMENTA UNIVERSIDADE

manimals

Em algumas escolas de arte da Europa nos dias de hoje, tem se tornado quase que mandatório que os estudantes de desenho prevejam cenários futuros possíveis. Como meio de criticar a trágica trajetória de humanidade, os estudantes são encorajados a imaginarem que tipos de produtos desejáveis, serviços e experiências que poderiam surgir num futuro obscuramente distópico. Algumas das mais amedrontadoras dessas previsões imaginárias se baseiam numa impiedosa sociedade destruída financeiramente, em confiança e um sentimento latente de um cataclisma iminente. As narrativas frequentemente questionam como iremos preencher nossas necessidades mais básicas num mundo avançado tecnologicamente mas economicamente e ecologicamente despedaçado. Um desses desenhistas, levados por esse lado cataclísmico saído do London’s Royal College of Art é o estudante Paul Gong e sua intrigante exploração das possibilidades de se resolver problemas como o de alimentação através de um nascente campo da biologia sintética. Integrando biotecnologia e desenho de produtos, o projeto de Gong imagina um futuro não tão distante, onde a genética animal pode, como num passe de mágica, se combinar com a nossa própria genética a fim de nos dar habilidades úteis. Antecipando o colapso global de suprimento de alimentos, o projeto de Gong mostra um cenário de um mundo onde a comida é escassa, forçando os humanos sobreviventes a explorar fontes antes obscuras, e até mesmo de gosto ruim, de nutrição. Inspirado por hienas, um animal com uma incrível habilidade de se alimentar de qualquer coisa que achar, Gong especula como a biotecnologia do futuro poderia ter o poder de criar bactérias que imitassem as habilidades digestivas dessas criaturas. Quando administradas corretamente, essas bactérias permitiriam que pessoas pudessem encher seus estômagos até mesmo com as mais pútridas carcaças sem medo de se contaminarem. Mais aqui.

Anúncios