O JOGO DE XADREZ CÓSMICO: A CRUCIFICAÇÃO

Texto extraído do livro The Cosmic Chess Match de L. A. Marzulli

A Crucificação: o erro de cálculo de Satanás

abVemos tudo através do Guia do Sobrenatural, isto é, a Bíblia, que as profecias foram dadas à humanidade; algumas profecias foram trazidas por mensageiros angelicais, outras por profetas que foram inspirados sobre o que eles deveriam escrever, e ainda outras (as quais considero de maior importância) que foram dadas pelo próprio Jesus!

É impressionante quando entendemos que as profecias são, a priori, o relato de eventos antes que os mesmos aconteçam. Nos é dito no livro de Isaías que o Altíssimo, El Elyon, só Ele é capaz de falar do fim antes do início. Em outras palavras, Ele está mostrando um padrão no qual só Ele pode fazer. Ninguém mais pode dizer que faz isso!

Como veremos nos últimos capítulos, existem vários impostores através da história que tentaram profetizar, mas suas predições foram erradas. (Na Segunda Parte desse livro irei discutir sobre alguns desses falsos profetas e os perigos que eles trazem, e como eles participam e ajudam Satanás no seu jogo final).

Como vimos nos capítulos anteriores, Satanás está procurando destruir Jesus: o Messias e o Ungido. Ele começa seu assalto logo após o nascimento de Jesus quando Herodes envia seus soldados para matar todas as crianças com menos de dois anos de idade.

Vemos depois mais uma tentativa quando Jesus é tentado quando estava enfraquecido devido ao longo jejum no deserto. Ele oferece a Jesus todos os reinos do mundo e mesmo assim Ele recusa.

Vemos ainda mais uma tentativa de se tirar a vida de Jesus na tempestade que quase afundou o barco quando atravessava o Mar da Galiléia.

Acredito que quando Jesus foi ressuscitar Lázaro dos mortos, existiam ali alguns judeus que tentavam matá-Lo. Ele era um homem marcado e Satanás procurava roubar, matar e destruí-Lo.

Tendo já estabelecido que Satanás estava tentando matar Jesus, o que já firmemente fiz nas páginas desse livro, temos que estar alertas de que o Messias veio para libertar a humanidade, como é evidenciado pelos doentes que estão sendo curados, e os possuídos pelo demônio que estão sendo libertos.

Jesus veio literalmente libertar os cativos; e Ele até mesmo proclama isso numa sinagoga quando é dado a ele o pergaminho de Isaías (61:1) e Ele lê:

E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito:
O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração, A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor.
Lucas 4:17-19

Resumindo: quando Jesus cita essa escritura, Ele está desafiando o governo de Satanás, pois Ele está afirmando que Ele irá destruir o seu reino. Ele está deixando bem claro qual é a Sua missão na terra: destruir o reino do Diabo e colocá-lo de volta nas mãos do seu proprietário certo, o homem.

Essa é uma declaração em dois níveis: micro e macro. Micro, pois Jesus está curando as pessoas, um a um, num nível pessoal. Leprosos são curados, mortos são ressuscitados e doentes se recuperam e por aí vai. É um ato supremo de misericórdia e amor, outorgado por um homem/Deus sobre aqueles que foram afortunados o bastante para viver durante o tempo em que Ele esteve na terra. Será que um cético poderia argumentar isso?

Num nível macro, Sua missão era prover um caminho para redimir toda a humanidade, todos aqueles que viriam após sua morte e ressurreição. Ele irá literalmente reaver, através da Sua morte na cruz, o título pertencente à terra que foi usurpado por Satanás quando Adão caiu em tentação no jardim. O que é interessante sobre esse capítulo é quando Jesus visita outra sinagoga e um demônio grita:

E estava na sinagoga um homem que tinha o espírito de um demônio imundo, e exclamou em alta voz,
Dizendo: Ah! que temos nós contigo, Jesus Nazareno? Vieste a destruir-nos? Bem sei quem és: O Santo de Deus.
Lucas 4:33-34

Vemos através dessa passagem que Satanás tem espiões em todos os lugares, pois um deles estava lá sentado na sinagoga num dia de Sabbath; no entanto se sentiram incomodados quando na presença do Messias. (Fico imaginando quantos desses “espiões” estão sentados nos bancos das igrejas das manhãs de Domingo.)

Então estamos vendo que o Messias está em andamento na Sua missão de destruir o reino de Satanás, isto é, destruir as obras do Diabo.

Satanás está alarmado com o que está acontecendo e está tentando parar isso com suas freqüentes e persistentes tentativas em tirar a vida de Jesus. Ele sabe que algo está acontecendo, mas aqui está o problema: ele não tem certeza do que é.

Mais uma vez venho pedir sua atenção para que entendam que Satanás não sabe de tudo. Mesmo ele podendo ler as profecias sobre a vinda do Messias, ele não compreende completamente os planos de Deus neste jogo. De fato, como veremos em breve, seu desejo em matar Jesus na verdade se encontra dentro dos planos divinos para libertar os cativos, cada homem, mulher e criança que está sob o sistema de Satanás, e reaver o título de donos da terra!

Jesus informa seus discípulos que Ele está indo para Jerusalém para morrer. Ele menciona isso várias vezes. De fato, quando Ele é transfigurado no Monte Hermon, Ele está discutindo isso com Moisés e Elias. Os discípulos que estavam com Ele não entenderam. Eles não captaram o plano!

Aqui vai uma especulação de minha parte: acredito que Satanás e seus comparsas não são capazes de lerem nossas mentes. Em outras palavras, eles não podem dizer o que nós seres humanos estamos pensando. Eles podem, no entanto, colocar pensamentos em nossas mentes. Eles podem sugerir idéias, esquemas ou planos e acredito que eles podem ouvir o que dizemos e daí terem uma boa idéia do que estamos pensando.

Acredito também que existam um grupo de anjos caídos e demônios especificamente destacados para monitorar Jesus, tudo o que Ele fazia, todos os lugares que Ele ia, e tudo o que Ele dizia. Também creio que ao mesmo tempo em que o inimigo e suas tropas se encontravam em posição, Jesus estava rodeado de santos anjos, como uma espécie de equipe de guarda-costas.

Acho que temos uma amostra disso no Getsemani, quando Jesus é confortado por um anjo enquanto transpirava gotas de sangue, e Ele informa àqueles que vieram predê-Lo de que Ele seria capaz de chamar uma legião de anjos e parar tudo aquilo se Ele assim o quisesse. (Nenhum homem tira a vida Dele, mas Ele a dá por sua própria vontade).

Tendi dito isso, é possível que Jesus estivesse falando de Sua morte de uma maneira como se estivesse apostando com Satanás? Seria como Ele estivesse criando uma desinformação como no mundo da espionagem de hoje. Lembrem-se que existe uma guerra no céu que está sendo travada e que atingiu sua força total enquanto Jesus esteve na terra.

Satanás também se infiltrou no círculo mais íntimo de Jesus. Isso novamente foi deliberado, um movimento estratégico, pois agora ele tinha um homem lá dentro que ele podia controlar. É claro que estou falando de Judas Iscariotes, aquele que O iria trair. Não foi um acidente Judas estar ali. Ele era parte do plano de Satanás para parar qualquer que fosse a missão de Jesus. Lembre-se que Satanás não tinha certeza de qual era essa missão. Ele estava perdendo seu reino de morte e destruição para Jesus, pois aonde quer que Jesus ia, Ele levava exatamente o oposto, que era vida e plenitude!

As últimas horas que levaram à morte de Jesus na cruz têm sido comentadas por séculos. Não farei isso aqui, pois já existem livros que encheriam muitas estantes de bibliotecas sobre esse assunto. O que gostaria de fazer, no entanto, é apontar na narrativa os trabalhos de Satanás e como as suas ações, as quais ele acreditava que trariam vitória a ele ou um cheque-mate no jogo de xadrez cósmico, no final provariam ser seu último erro. Vamos dar uma olhada no que acontece com Judas. Segue:

Entrou, porém, Satanás em Judas, que tinha por sobrenome Iscariotes, o qual era do número dos doze.
E foi, e falou com os principais dos sacerdotes, e com os capitães, de como lho entregaria;
Os quais se alegraram, e convieram em lhe dar dinheiro.
Lucas 22:3-5

Isso imediatamente nos levanta a seguinte pergunta: como poderia Satanás, ter acesso a Judas para fazer isso? Como ele o possuiu? Quando esse relacionamento começou?

Satanás tinha esse homem infiltrado e ele era Judas. Quando o momento certo chegou e Satanás colocou suas peças em posição, ele entrou em Judas pessoalmente. Chamo aqui a sua atenção para o fato de que os textos nos mostram o quão importante isso foi para Satanás, tão importante que ele não delegou essa função a ninguém que não ele mesmo; então ele entrou em Judas.

Isso nos trás ao assunto sobre possessão demoníaca ou satânica. Acredito que Judas possuía um relacionamento contínuo com Satanás. Em algum ponto ele se abriu completamente e desejosamente às mentiras que eram sopradas em seus ouvidos. Então vemos o plano de descortinar quando Satanás imediatamente se dirige aos sacerdotes chefes, os líderes religiosos daquele tempo, os mesmos os quais Jesus chamou de sepulcros caiados e raça de víboras, que O traem!

Agora Satanás havia encontrado seus aliados e acreditava que a oportunidade havia aparecido, ele então entra em Judas para que este pudesse trazer a execução de seu plano para matar Jesus. Jesus então abaixou as mãos e disse:

Bem sabeis que daqui a dois dias é a páscoa; e o Filho do homem será entregue para ser crucificado.
Mateus 26:2

Satanás deveria ter prestado atenção nessas próprias palavras. Seus espiões deveriam ter avisado ele. No entanto, como falsos planos de invasão foram dados aos nazistas antes do Dia D, Satanás estava caindo direto nas mãos de Jesus.

Então Judas estava para trair Jesus, e para isso ele ganharia 30 moedas de prata. Só para constar, essa também foi uma das muitas profecias que iriam acontecer dentro de um período de 24 horas que rodeiam a morte de Jesus. Essas profecias, ajuntadas num todo, pintam uma descrição vívida do que aguardava o Messias durante a crucificação. Se Satanás fosse capaz de colocar as peças juntas, ele nunca teria matado Jesus! Ele teria feito exatamente o oposto. Ele deveria ter prolongado sua vida e a protegida a todo custo. No entanto, ele não juntou as peças e por isso permaneceu em ignorância sobre aquilo que seria finalmente a sua derrota ou cheque-mate!

Depois vemos que Jesus é preso no jardim. Aqui é onde temos uma pista de que Ele tinha sob Seu comando legiões de anjos:

Ou pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos? Mateus 26:53

Enquanto estava no jardim, Jesus suava grandes gotas de sangue. Ele estava em agonia, pois Ele sabia o que viria pela frente. Ele pediu se este cálice poderia ser afastado Dele, mas então ele diz: não seja feita a minha vontade, mas a Sua. Essas palavras mudariam a própria fábrica do universo em minha opinião!

Então Judas entra no jardim e com um beijo trai o Salvador do mundo. Nesse momento os discípulos se espalham e, nas horas seguintes, Jesus é levado à tortura, humilhação, rejeitado pelos judeus e, finalmente, Sua morte.

Satanás estava em êxtase, pois ele acreditava que havia ganhado o jogo. Ele estava prestes a matar Jesus e, dessa forma, protegido seu reino; pelo menos era nisso que ele estava acreditando naquele momento.

A maioria de nós já conhece o resto da história e não vou me delongar aqui. Resumindo: Jesus é crucificado e então enquanto estava lá pendurado nu e castigado na cruz, na pesada escuridão que cobriu a terra da Palestina por três horas, Ele sussurra suas palavras finais: Está consumado. Nesse momento ele entrega Seu espírito. Um grande terremoto abala a terra, e as tumbas dos justos são abertas e aqueles que esperavam desde que morreram foram vistos andando nas ruas de Jerusalém. O véu do Templo, que é de um tecido bem pesado e grosso, foi rasgado de cima abaixo. Essa foi a mega mudança em toda a história. Esse foi o momento singular mais importante desde que foram colocadas as fundações do mundo. Isso teria repercussões que iria destruir o reino de Satanás. Iria, de fato, ser o seu castigo.

Uma passagem nos mostra o que aconteceu depois que Yeshua/Jesus “entregou seu espírito”. Aqui temos o texto que nos explica o que acontece depois. Ele é retirado de 1 Pedro 3:18

Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;
No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão;
Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água;
1 Pedro 3:18-20

 O que vemos aqui é que Jesus foi aonde os espíritos se encontravam aprisionados, e Ele proclamou vitória sobre eles! A Bíblia também nos diz quem eram esses espíritos e mais uma vez vos chamo a atenção à narrativa de Gênesis 6 no início desse livro. Os espíritos aos quais Ele prega são, em minha opinião, os mesmos aos quais nos alude Judas:

E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia; Judas 1:6

No final de tudo pra mim é que esse foi um grito de vitória; Ele estava dizendo: cheque-mate! O que Satanás achava que seria o fim da missão ao crucificar Jesus, na verdade se cumpriu como sua derrota final. Ele não entendia o que estava acontecendo ali. Ele não entendia que o Messias, o Ungido, daria Seu sangue de uma vez por todas pela remissão de todas as coisas nojentas que nós seres humanos fazemos em nosso dia-a-dia!

A cruz foi a derrota final, pois quando Jesus parecia ter sido driblado por Satanás, na verdade, ele entregou Sua vida por Sua própria vontade e então, em Sua morte, viajou até o lugar onde os anjos caídos haviam sido acorrentados e proclamou a eles que o jogo havia acabado e o Altíssimo havia vencido. Vejam outro versículo que amplia essa vitória:

Por isso diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro,e deu dons aos homens.
Ora, isto ele subiu que é, senão que também antes tinha descido às partes mais baixas da terra?
Efésios 4:8-9

Bullinger escreveu sobre isso, e recomendo que leiam, pois acredito que esse foi um grito de vitória, uma proclamação de que o título dado à terra, o sistema luciferiano, o reino de Satanás agora havia oficialmente chegado ao fim.

No versículo 8 acima nós vemos que Ele levou uma hoste de cativos com Ele enquanto ele subia ao céu. Muitos acreditam  que até aquele tempo, as almas dos homens e mulheres estavam em um tipo de área de espera. Em outras palavras, pelo fato de todo o universo ter sido corrompido por Satanás (é por isso que lemos que a criação geme), não havia caminho para que esses espíritos fossem libertos. Isso foi uma das coisas sobre o sacrifício de Jesus na cruz, a libertação dos cativos os quais haviam sido mantidos nessa área desde o tempo da morte de Abel, Adão e Eva, até o momento da crucificação quando Jesus diz a um dos ladrões que está crucificado perto Dele: hoje mesmo estarás comigo no Paraíso!

 O que acontece três dias depois é a ressurreição. Jesus se levanta dos mortos e sai da tumba. Em seu corpo ressurreto, Ele é visto por Seus discípulos e depois mais tarde por 500 testemunhas diferentes.

Então Ele junta Seus discípulos e vai até o Monte das Oliveiras, onde Ele sobe aos céus. Nos é dito então que um anjo então diz aos homens e mulheres que testemunhavam isso, que Ele retornará da mesma maneira que Ele partiu, e quando Ele tocar Seus pés no chão, irá partir o Monte das Oliveiras ao meio! Acredito que isso é literal e não uma hipérbole!

Ele pede aos Seus discípulos que esperem em Jerusalém até que recebam o Espírito Santo. Mais tarde, isso acontece, pois o poder do espírito de Deus desce sobre aqueles que estão juntos numa sala do andar de cima de um prédio que sacode quando isso acontece. É extremamente importante para nossa discussão entender que essa foi a primeira vez desde a queda no jardim que o Espírito do Deus vivo, mais uma vez vem habitar homens e mulheres. Essa é a experiência, nascer de novo, que criou a igreja de Cristo. O muro que separou Deus dos homens havia sido derrubado e permitiu a reconexão do nosso espírito ao Criador do universo. Infelizmente, essa experiência têm sido diminuída por alguns dos então chamado tele-evangelizadores que têm transformado isso num carnaval. A mídia tem transformado a frase nascer de novo em palavras quase que ridículas. O fato é que não existe nada mais importante na vida de uma pessoa do que nascer de novo. Se isso não acontecer, permaneceremos homens e mulheres naturais, e nunca seremos capazes de entender as coisas do espírito.

É importante notarmos que os discípulos achavam que Jesus iria retornar logo. Eles estavam esperando por isso, e creio que Satanás também. No entanto, passados aproximadamente 2000 anos após o cheque-mate ter sido declarado na cruz, o Deus Altíssimo ainda não pediu pelo seu prêmio ainda. Devo admitir a vocês que isso me agita um pouco, pois penso nisso todas as vezes que vou deitar e fico pensando olhando para o teto por horas querendo saber o porquê Ele faz esses atrasos e esperas. Ele tem Suas razões, mas enquanto isso Satanás continua a criar o terror que pode. Ele sabe que perdeu o jogo. Ele sabe que no final irá perder o lugar no qual agora reside, o segundo céu, mas em sua louca demência, ele acredita que, de alguma forma poderá extrair uma vitória das cinzas de sua derrota.

Recapitulando:

A cruz mudou o jogo. Em essência ela é o cheque-mate onde o título que nos foi dado e usurpado por Satanás no jardim agora foi tomado de volta. Isso com alcançado pelo homem que não tinha pecado, e ofereceu a sua vida, pela sua própria vontade, como um sacrifício, por todas as pessoas de todos os tempos, e é por isso que aprendemos que Jesus é o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo.

É como Jesus proclamou momentos antes de morrer: Está consumado. Essas palavras têm uma conotação muito mais profunda do que pensamos, pois é uma proclamação de que o jogo de xadrez cósmico acabou e o vencedor é o Deus das Alturas. No entanto, como veremos na Segunda Parte desse livro, Satanás deseja levar consigo a maior parte das pessoas para uma eternidade de separação deste Deus das Alturas. Ele quer outro jogo, e embora isso não foi formalmente garantido, Satanás age como se já houvesse! É por isso que vemos uma movimentação de peças pelos jogadores desse xadrez cósmico até os dias de hoje. Em outras palavras, mesmo sabendo que o jogo já acabou, ainda há uma guerra acontecendo e continuará a acontecer até a segunda chegada, quando Jesus finalmente tomará controle do reino.

O pensamento final é de que Satanás ainda acredita que irá subir ao trono e ser adorado como Deus. Veremos na Segunda Parte, que essa é a sua jogada final e não poupará gastos para cumprir seu objetivo.

Anúncios

Um comentário sobre “O JOGO DE XADREZ CÓSMICO: A CRUCIFICAÇÃO

  1. Deus é o Senhor do Universo…o poder e a gloria infinitos…Satanas jamais vencerá seus intentos…

Os comentários estão desativados.