A NATUREZA TRIUNA DE DEUS

A NATUREZA TRIUNA DE DEUS

 

Como é que muitos, incluindo os líderes de Israel, viram Deus? Existem inegáveis passagens no Novo Testamento, e até mesmo ditas pelo próprio Jesus, de que ninguém viu Deus. “Ninguém jamais viu a Deus.” (João 1:18)…”Vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes a sua forma.” (João 5:37). Em Êxodo 33:20 YHWH disse: “Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum pode ver a minha face e viver.” Como podemos explicar essas passagens tão claras mesmo quando muitas vezes os profetas tenham dito terem visto Deus, incluindo Êxodo 24:10 “e viram o Deus de Israel”? Teríamos contradições na Bíblia?

 

Quando Jesus está dizendo que ninguém viu Deus, Ele está se referindo a duas coisas: Primeiramente é que ninguém viu o Pai, mas eles obviamente poderiam ver Jesus, o qual era o Verbo em Carne, que é a Segunda pessoa do Deus Triuno. É por isso que Jesus responde a Felipe dizendo: “Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?” (João 14:9)

 

De acordo com Jesus, se tivéssemos visto Jesus, estaríamos vendo o Pai. Segundo: ninguém pôde ou pode ver Deus em toda Sua glória. Moisés foi o que mais perto chegou disso quando Deus se escondeu dele na fenda da rocha e depois passou permitindo a que Moisés visse Sua “parte de trás”. Então podemos entender que ninguém poderia ver a face de Deus em toda Sua glória. No entanto, quando Moisés pede isso (entendendo que ele tinha um relacionamento bem próximo com Deus) para que Deus mostrasse Sua glória, Ele disse: “E quanto a minha glória passar, eu te porei numa fenda da rocha, e te cobrirei com a minha mão, até que eu haja passado. Depois, quando eu tirar a mão, me verás pelas costas; porém a minha face não se verá.” (Êxodo 33:22,23)

 

O fato de que os profetas tenham visto a face de Deus e viveram e Moisés não pôde, é porque os profetas tiveram uma visão de Deus, enquanto Moisés esteve na própria presença de Deus. A diferença é como se pegássemos uma pessoa dentro de uma nave espacial e fosse ao sol, e outra que estivesse examinando o sol através da tela de um computador ou realidade virtual. Se a pessoa da nave espacial chegar muito perto do sol ela vai se queimar devido à grande energia e calor emanado pelo sol. No entanto, o sol pode ser estudado em grande detalhe se fizermos o uso de uma câmera e projetar a imagem numa televisão ou tela de computador. Nesse sentido, o que acontece no caso da televisão é o que acontecia com os profetas. O Dicionário Etimológico Online define televisão como: “a ação de se ver por meios de ondas hertzianas ou outro meio, o que está existindo ou acontecendo num lugar distante dos olhos do observador.” Dessa maneira a face de Deus poderia ser vista, levando Isaías a declarar: “Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou homem de lábios impuros, e habito no meio dum povo de impuros lábios; e os meus olhos viram o rei, o Senhor dos exércitos! (Isaías 6:5).

 

Mas até mesmo estar na presença de Deus não é possível, nem mesmo para alguém tão próximo de Deus quanto Moisés. Temos então que a experiência dos profetas eram muito mais como uma realidade virtual onde eles “interagiam” com as imagens que viam nas telas, mas corporalmente não estavam lá.

 

CRISTOFANIAS

 

Quando Deus visita a terra na Tanakh (Velho Testamento), Ele aparece como uma Cristofania, que na verdade é Jesus sendo visto e não o Pai. Consideremos apenas alguns exemplos em que o Anjo do Senhor também é chamado de Deus. Isso nos serve para mostra que enquanto Deus o Filho estivesse sendo visto, Deus o Pai não. Isso é consistente com as palavras de Jesus: “e ninguém conhece plenamente o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece plenamente o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.” (Mateus 11:27).

 

“E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça…E vendo o Senhor que ele se virara para ver, chamou-o do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés! Respondeu ele: Eis-me aqui. Prosseguiu Deus: Não te chegues para cá; tira os sapatos dos pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa. Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés escondeu o rosto, porque temeu olhar para Deus.”(Êxodo 3:2, 4-6)

 

O anjo do Senhor na Tanakh é a Segunda pessoa da Trindade, Jesus. Logo, dos muitos lugares em que Ele aparecia na terra, os que O viam, não viam Deus o Pai, mas Deus o Filho. Continuemos nossa investigação com Gideão, que fora visitado pelo anjo do Senhor:

 

“Apareceu-lhe então o anjo do Senhor e lhe disse: O Senhor é contigo, ó homem valoroso. Gideão lhe respondeu: Ai, senhor meu, se o Senhor é conosco, por que tudo nos sobreveio? E onde estão todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram, dizendo: Não nos fez o Senhor subir do Egito? Agora, porém, o Senhor nos desamparou, e nos entregou na mão de Midiã. Virou-se o Senhor para ele e lhe disse: Vai nesta tua força, e livra Israel da mão de Midiã; porventura não te envio eu? Replicou-lhe Gideão: Ai, senhor meu, com que livrarei Israel? Eis que minha família é a mais pobre de Manassés, e eu o menor da casa de meu pai. Tornou-lhe o Senhor: Porquanto eu hei de ser contigo, tu ferirás aos midianitas como a um só homem. Prosseguiu Gideão: Se agora tenho achado graça aos teus olhos, dá-me um sinal de que és Tu que falas comigo…Mas o anjo de Deus lhe disse: Toma a carne e os bolos ázimos, e põe-nos sobre esta rocha e derrama-lhes por cima o caldo. Ele assim fez. E o anjo do Senhor estendeu a ponta do cajado que tinha na mão, e tocou a carne e os bolos ázimos; então subiu fogo da rocha, e consumiu a carne e os bolos ázimos; e o anjo do Senhor desapareceu-lhe da vista. Vendo Gideão que era o anjo do Senhor, disse: Ai de mim, Senhor Deus! Pois eu vi o anjo do Senhor face a face.” (Juízes 6:12-17, 20-23)

 

Uma vez que Gideão entendeu que vira o anjo do Senhor (YHWH) face a face, ele ficou aterrorizado a ponto de morrer. O Senhor, com quem ele se encontrou, então o acalma dizendo que ele não morrerá. Gideão de fato viu Deus, e é fato que ele viu a face do Senhor, de acordo com o texto. No entanto, o Senhor aqui nesse caso, assim como em Êxodo 3 e em várias outras passagens, não é Deus o Pai, mas é uma Cristofania, que é a aparência da pré-encarnação de Jesus. Assim sendo, era possível ver Deus, uma vez que era Deus o Filho e não Deus o Pai, dessa forma deixado válidas as declarações de Jesus como vimos em Mateus 11:27.

 

Paulo elabora ainda mais sobre isso escrevendo sobre Jesus como sendo a Imagem de Deus:

“…o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.” (2 Coríntios 4:4)

“o qual é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação” (Colossenses 1:5)

 

A TRINDADE

 

Vemos nesses versículos que Jesus é a imagem do Deus invisível. Entender a natureza triuna de Deus é um desafio para nós e várias ilustrações têm sido sugeridas. Alguns sugerem as três partes de um ovo: casca, clara e gema. Outros sugerem as três fases da água: gelo, líquido e vapor.  Enquanto ambas explicações nos dão um vislumbre, elas se perdem rápido e tendem a confundir a natureza de Deus. Deus não existe em diferentes fases e nem mesmo pode ser dissecável.

 

Apesar de nenhuma ilustração ser perfeita, fazemos bem em considerar o sol como um análogo à trindade divina. Podemos imaginar o sol como três em um: A esfera ou bola do sol seria o Pai, os raios de luz o Senhor Jesus e o calor como sendo o Espírito Santo. O sol em sim mesmo é a fonte da luz e sem ele, ela não existiria. No entanto, é da mesma maneira impossível de imaginar o sol sem a luz e o calor que procede dele. Se não existisse a luz, a esfera do sol seria invisível. É exatamente a luz que nos permite ver a esfera ou bola do sol. Paralelamente, Paulo nos diz que Jesus é a imagem do Deus invisível. Sem Jesus, não podemos ver o Pai; mas também temos que saber que a luz é gerada pela esfera do sol, então Jesus também é gerado do Pai. Não quero dizer com isso que Jesus é criado, por isso ele é gerado. Podemos ainda usar essa ilustração para provar que o sol não pode, em qualquer momento de sua história, ter existido sem emitir luz e energia. Logo, a luz que vem do sol é concomitante à origem do sol. É claro que Deus não teve um começo e nem Jesus. O Espírito Santo representado pelo calor é análogo à luz; assim como o sol emite luz, ele também emite calor. O calor é dependente (da bola) do sol, mas é impossível separar a bola do sol do calor que ele emite.

 

O Conselho de Nicéia codificou esse conceito num esforço de clarear a natureza de Deus:

“Acreditamos em um só Deus, o Pai, o Altíssimo, criador do céu e da terra, de tudo o que existe, visível e invisível. Acreditamos em apenas um Senhor, Jesus Cristo, o Filho unigênito do Pai, Deus vindo de Deus, eternamente gerado, não criado, sendo um Ser com o Pai. Através Dele todas as coisas foram feitas…Cremos no Espírito Santo, o Senhor, que dá a vida, que procede do Pai e do Filho. Com o Pai e o Filho ele é adorado e glorificado.

Πιστεύομεν εις ένα Θεον Πατερα παντοκράτορα, ποιητην ουρανου και γης, ορατων τε πάντων και αορατων. Και εις ένα κύριον Ιησουν Χριστον, τον υιον του θεοθ τον μονογενη, τον ει του πατρος γεννηθέν τα προ πάντων των αιώνων, φως εκ φωτος, θεον αληθινον εκ θεου αληθινου,γεννηθέντα, ου ποιηθέντα, ομοουσιον τωι πατρί· δι’ ου τα παντα εγένετο· […] Και εις το Πνευμα, το Άγιον, το κύριον, (και) το ζωοποιόν, το εκ του πατρος εκπορευόμενον [coming out of], το συν πατρι και υιωι συν προσκυνούμενον και συν δοξαζόμενον. [iii]

 

 

O texto grego demonstra esse entendimento pelo uso das palavras “eternamente gerado do Pai” [gennethen ta pro panton ton alonon]. A raíz da palavra “gerado” tem a ver com o empreendimento dos pais humanos gerando crianças. Então o que isso significa em relação a Jesus? Fica claro que a afirmação de que Ele é “Deus vindo de Deus”, podemos voltar à nossa ilustração do sol para que entendamos esse conceito. Jesus é a imagem do Deus invisível. É só através da luz que o sol pode ser visto. Assim também é com Jesus, só através Dele podemos ver o Pai. Jesus então é eternamente gerado pelo Pai. Logo, Ele é dependente do Pai, mas ainda assim sem começo. Ele é co-eterno e é a imagem pela qual o Pai se manifesta.

Anúncios