A HABITAÇÃO DOS ANJOS: CRIADA ANTES OU DEPOIS DE GÊNESIS 1:1?

A HABITAÇÃO DOS ANJOS: CRIADA ANTES OU DEPOIS DE GÊNESIS 1:1?

 

Muitos sugerem que Deus tenha criado os anjos antes da criação dos céus e da terra. Ele os teria criado fora do tempo e espaço? A resposta é simples e é um não e diremos porque. Antes que tudo existisse, antes da escuridão do espaço, antes do vazio existia o Rei, o Altíssimo, o Auto-Existente, Aquele que foi e é e será. Ele existia dentro e fora de sua habitação. Deus não estava em “nenhum lugar”, pois não havia “lugar”. Só Deus existia. Não obstante, Ele criou o espaço do nada, um lugar fora Dele mesmo. Essa expansão, dimensão, Ele chamou de shamaim (ou firmamento; céus). Ele encheu esse lugar com substância, matéria chamada eretz (terra). Podemos imaginar os céus como uma garrafa de água cheia de água (eretz). Imagine Deus por Ele mesmo, Dele mesmo, trazendo à frente de Si mesmo uma dimensão, um vazio, enchendo-o com eretz também chamado de “tehom” (o abismo) que nunca havia existido antes. No entanto, nesse primeiro dia, a terra estava apenas em processo de formação. É por isso que Deus faz uma pausa e explica o que Ele quer dizer por “água”. Ele não quer dizer que é uma bola de solo, pó, terra, que Adão ficou quando seus olhos se abriram e reconheceram Deus. Eretz – a terra no primeiro dia, de fato, significava água.

 

Dessa água Deus formou a luz para preencher a escuridão a qual Ele também criou (Isa 45:7). O primeiro dia foi o início das diferenciações. Antes da criação não existiam diferenciações (for do próprio Deus e Sua indescritível trindade). Nesse primeiro dia, Deus criou as coisas que não existiam. Ele criou um espaço fora de Si mesmo; Ele criou a escuridão que não existia (Isa 45:7), pois Deus é luz e não existe escuridão Nele (1 João 1:5). Logo, a ausência de Sua gloriosa luz no novo vazio criado era nova e diferente e é por isso que o Rei é assim revelado por Isaías “Eu formo a luz e crio a escuridão”. Até aquele momento, a escuridão (a ausência da luz) não existia.

 

Portanto antes do primeiro dia (ou Gênesis 1:1), existia Deus e sendo Ele luz, não existia algo como a escuridão. Quando Ele criou o vazio, espaço, este era feito da luz de Deus e nem mesmos os fótons haviam sido criados. Quando Deus disse: “Haja luz”, é o momento que Deus cria as ondas-partículas conhecidas como fótons.

 

Podemos observar, no entanto, que antes da criação de um lugar e da substância, não existia nem mesmo habitação para os anjos. A criação deles não é claramente detalhada como a criação de Adão, mas podemos juntar algumas peças do livro de Jó: “Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? Faze-mo saber, se tens entendimento. 5 Quem lhe fixou as medidas, se é que o sabes? ou quem a mediu com o cordel? 6 Sobre que foram firmadas as suas bases, ou quem lhe assentou a pedra de esquina, 7 quando juntas cantavam as estrelas da manhã, e todos os filhos de Deus bradavam de júbilo? (Jó 38:4-7). Jó tinha o segundo dia em mente, pois o cordel há havia sido usado. O cordel (que me fora mostrado por um irmão que esqueci o nome), era onde o dia e a noite se encontravam na terra, vistos do espaço – existe literalmente uma linha passando por ele. Os anjos obviamente já estavam ali e observavam o que Deus estava fazendo, pois não dependiam da terra (como o homem precisa). Essa é a evidência mais antiga que temos dos anjos. Nada sabemos sobre eles depois disso.

 

A próxima coisa que devemos considerar é que antes da queda do homem, só existia uma habitação na qual os seres espirituais (anjos, Deus) poderiam existir com o físico (Adão). Esse domínio único foi dividido em dois devido à queda do homem. Sabemos disso devido à existência de um véu entre a habitação/reino do céu e a terra. Aprendemos isso em Isaías 25:7 que fala desse véu que cobre todas as nações, e que será removido. “7 E destruirá neste monte a coberta que cobre todos os povos, e o véu que está posto sobre todas as nações. 8 Aniquilará a morte para sempre, e assim enxugará o Senhor Deus as lágrimas de todos os rostos, e tirará de toda a terra o opróbrio do seu povo; porque o Senhor o disse.” Isaías também diz: “1 Oh! se fendesses os céus, e descesses, e os montes tremessem à tua presença,”. Também já lemos sobre o céu descendo como um pergaminho em Isaías 34 e Apocalipse 6. Os profetas também viram os céus se abrirem numa ocasião (Ezequiel 1, Apocalipse 4, 19). Estevão também viu o céu se abrir enquanto ele era apedrejado (Atos 7).

 

Sabemos também que Satanás estava no Éden, o jardim de Deus, o qual está associada com o monte de Deus (Ezequiel 28:12-18). Esse monte é a mesma montanha que lemos em Isaías 14, na qual Satanás disse que subirá para se sentar no “monte da congregação”. Ela é a mesma que também é falada em Hebreus “22 Mas tendes chegado ao Monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, a miríades de anjos;” (Hebreus 12:22). O monte de Deus é, de fato, a Jerusalém celestial, de acordo com esse e outros versículos.

 

No entanto, o monte de Deus fora criado quando Ele criou tudo e também essa habitação era um domínio/dimensão comum antes da queda. Deus andava no frescor da noite no Jardim do Éden, que era o mesmo lugar que estava Satanás – o monte de Deus. O Éden e o monte de Deus estavam conectados intimamente. Isso significa que a habitação de Deus e do homem estavam no mesmo domínio e só se dividiram depois da sentença e da expulsão do Jardim, com o caminho bloqueado para a árvore da vida. Em outras palavras, a expulsão não fora só uma remoção espacial, mas uma mudança dimensional. A habitação espiritual estava divorciada da natural/física e nesse ponto esses dois serão recombinados quando a Nova Jerusalém descer do céu e permanecer na terra para sempre.

Anúncios

Um comentário sobre “A HABITAÇÃO DOS ANJOS: CRIADA ANTES OU DEPOIS DE GÊNESIS 1:1?

  1. A Paz do Senhor, o que vamos fazer com 2Pedro 3:9-13 .
    O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.
    Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.
    Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade,
    Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?
    Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.

Os comentários estão desativados.