NETANYAHU ALERTA SOBRE O “OBSCURO” IRÃ

Netanyahu invoca Profecia Bíblica para abrir os olhos do mundo ao “obscuro” Irã

Sacode-te do pó, levanta-te, e assenta-te, ó Jerusalém: veste-te das tuas roupas formosas
Isaías 52:2

benjamin-netanyahu-yad-vashem-2015
Primeiro Ministro Benjamin Netanyahu na cerimônia anual do Dia em Memória do Holocausto no Yad Vashem Holocaust Memorial, em 16 de Abril de 2015.

Comemorando as lembranças do Dia do Holocausto em Israel, o Primeiro Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu invocou mensagens do Holocausto e profecias bíblicas como um alerta direto em direção às ações violentas e expansivas do regime iraniano.

“Há setenta anos atrás, os sinos da liberdade batiam num mundo livre. O horrível pesadelo que engoliu toda a humanidade nas profundezas de sangue haviam terminado na Europa”, disse o primeiro ministro em seu discurso em Yad Vashem na terça-feira.

“Os líderes das nações modernas entenderam que o momento era propício para o estabelecimento de uma nova ordem baseada na liberdade de defesa, erradicando o mal e se opondo à opressão. Eles articularam as mais importantes lições tiradas da Segunda Guerra Mundial: as democracias não deveriam ficar cegas às aspirações de expansão de regimes tiranos”, disse Netanyahu. “Uma atitude conciliatória para com esses regimes só aumentam as suas tendências agressivas. E se essa agressão não é parada em tempo, a humanidade pode se encontrar numa batalha ainda mais sangrenta.”

O primeiro ministro ainda apontou que “perto da Segunda Guerra Mundial, o mundo tentou apaziguar os Nazistas. Eles ficaram quietos a todo custo, e um terrível preço foi pago.”

Com o assassinato de 6 milhões de judeus e outros durante o Holocausto, o primeiro ministro disse: “a conclusão é clara: não existe lugar para fraqueza quando encaramos regimes tiranos que mandam seus tentáculos assassinos em todas as direções. Só permanecendo firmes e aderindo a valores de liberdade e tolerância podemos ter certeza do futuro da humanidade.”

Os líderes mundiais gritaram “Nunca Acontecerá de Novo!” e prometeram se “opor a todas as coisas más logo que elas comessassem”. Netanyahu chamou esses anúncios de “sem nenhum significado”, pois o mesmo padrão que estava emergindo antes do Holocausto, está acontecendo de novo ante nossos próprios olhos com o Irã.

“Será que o mundo realmente apredeu a lição da universalmente inconcebível tragédia judia do último século?” Perguntou Netanyahu. “Gostaria de, aqui de pé, dizer a todos vocês que a resposta pudesse ser um sim.”

Assim como os Nazistas queriam tomar a Europa, o Irã quer tomar e destruir o Oriente Médio, incluindo a aniquilação de Israel, disse o primeiro ministro. As civilizações humanas estão encarando grandes ameaças que, se não tiverem uma forte resposta, tomarão a humanidade.

“Forças Radicais Islâmicas estão transbordando no Oriente Médio, destruindo os remanescentes do passado, torturando e assassinando inocentes indefesos. Eles esperam estabelecer califados, mais de um, como na Idade Média. Ao mesmo tempo, o regime extremista do Irã está oprimindo seu povo; estão desandando a submergir o Oriente Médio em sangue e sofrimento, no Yêmem, na Síria, no Líbano, no Iraque, em Gaza e em toda fronteira de Golã”, explicou Netanyahu.

“Assim como os Nazistas aspiravam destruir a civilização e estabelecer uma ‘raça mestre’ para nos substituit e controlar o mundo enquanto aniquilavam o povo judeu, assim também o Irã luta para ter o controle de toda a região, almejando no futuro próximo, a explícita vontade de obliterar o Estado Judeu.”

O primeiro ministro mostrou as duas maneiras as quais o Irã está procurando expandir seu poder no Oriente Médio e continuar com suas intenções assassinas em direção ao Estado Judeu.

“O Irã está avançando em duas direções: a primeira é o desenvolvimento da habilidade de fazer as suas próprias armas nucleares e acumular uma pilha de mísseis balísticos; e a segunda é exportar a revolução Komehinística para vários países se usando de um terrorismo pesado e tomando grandes partes do Oriente Médio”.

Pessoas paradas na rua Jaffa no centro de Jerusalém enquando uma sirene de dois minutos soava por toda Israel para marcar o Dia em Memória ao Holocausto em 16 de Abril de 2015.
Pessoas paradas na rua Jaffa no centro de Jerusalém enquando uma sirene de dois minutos soava por toda Israel para marcar o Dia em Memória ao Holocausto em 16 de Abril de 2015.

Netanyahu alertou os líderes mundiais para abrirem seus olhos para as verdadeiras intenções do Irã, ao invés de tentar desesperadamente fazer a paz com um regime mal. “Tudo está muito claro, está tudo acontecenco a olhos vistos, em frente das câmeras”, disse ele. “E ainda assim, a cegueira é enorme.”

Citando o profeta Isaías, o primeiro ministro evocou uma mensagem de alerta de Deus “pois o mundo civilizado está embalado em um sono numa cama de ilusões.”

“Pois eis que as trevas cobrirão a terra, e a escuridão os povos”, disse o profeta Isaías. As determinações e as lições que foram adquiridas através de sangue há setenta anos atrás estão agora se dissipando, e a escuridão e a névoa de negar a realidade estão tomando lugar”, alertou Netanyahu.

Netanyahu prometeu que, apesar do recuo de muitos países ocidentais, Israel “não vai recuar” na identificação de ameaças e proteger o futuro do Estado judeu e nação. “Vamos continuar a insistir na verdade, e nós faremos tudo que pudermos para abrir os olhos dos que fecharam.”

“Eu não quero enganar ninguém. Temos testes pela frente. Estamos no meio de uma grande batalha contra a languidez, a fraqueza, a negação da realidade; nos manteremos com força total”, disse ele.

“Há setenta anos atrás, éramos um povo de refugiados de guerra, impotentes e sem voz. Hoje nós expressamos o que temos a dizer, e estamos determinados a garantir a nossa existência e nosso futuro. É nosso dever lutar contra aqueles que querem nos destruir, e não nos curvarmos diante deles, nem subestimar a realidade. Não vamos permitir que o Estado de Israel seja um episódio passageiro na história de nossa nação.”

Com uma mensagem de esperança, Netanyahu terminou seu discurso invocando a mensagem de Isaías 52:2, “Sacode-te do pó, levanta-te, e assenta-te, ó Jerusalém: veste-te das tuas roupas formosas”

“A nação da eternidade abalou-se da poeira, voltou para casa, se manteve de pé, estabeleceu um país excepcional e um exército excelente, a Força de Defesa de Israel, em que os nossos filhos e filhas bravos e corajosos servem”, afirmou. “Vamos lembrar aqueles que foram assassinados, vamos garantir a vida.”

 

Anúncios