O CALDEIRÃO: ORIENTE MÉDIO – PARTE 1

O CALDEIRÃO: ORIENTE MÉDIO

1a PARTE

 

Dizem que o tempo é tudo, e o próximo livro do autor best-seller Terry James, vocês descobrirão por que eu o considero ser um dos mais importantes trabalhos, senão o mais importante documento preditivo, de 2014.

 

Cauldron (Caldeirão em inglês), descortina com vívida descrição como as profecias da Bíblia já diziam há muito tempo atrás as cascatas de eventos ao redor do mundo com uma precisão fenomenal em seus cumprimentos. As pesquisas e análises em Cauldron convencerão até mesmo mais céticos mais duros de que algo amedrontador e ao mesmo tempo maravilhoso está se descortinando quando o autor o aprofundar nas entranhas do Oriente Médio e ao redor do mundo, com uma habilidade única, não apenas com eventos chocantes que parecem ter saído das páginas da literatura apocalíptica, mas também mostrando as palavras e ações dos líderes globais que agora proclamam abertamente que o final dos tempos já chegaram.

 

Eventos proféticos críticos cobertos por James incluem uma gama dos estudos proféticos mais recentes e esquecidos, como uma intrigante união entre Muçulmanos e Judeus para a construção do Terceiro Templo em Jerusalém; líderes políticos e religiosos advogando a favor de uma autoridade única global, financeira e política; e até mesmo o que parece ser um movimento intencional das comunidades internacionais que poderia iniciar a batalha do Armageddon.

 

Como um grande exemplo dos achados desse livro investigativo, James nos leva ao livro de Ezequiel, onde um dos mais importantes profetas do Velho Testamento, nos fornece informações extremamente específicas no que diz respeito a uma batalha final global, chamada em Ezequiel 38 de “a batalha de Gog e Magog”. Ezequiel diz que essa contenda sobrenatural irá acontecer no fim dos tempos, depois que Israel tiver “se juntados de muitos povos e nações” e tendo sido novamente reconhecida como nação. Durante esta geração na qual Israel tiver sido reunificada (o que foi completado em 14 de Maio de 1948, quando David Ben-Gurion, o líder da Agência Judaica, proclamou o estabelecimento do estado de Israel e o “Presidente dos EUA, Harry S. Truman reconheceu a nova nação no mesmo dia”) então aconteceria a Batalha de Gog e Magog. Se uma geração bíblia é de setenta anos (veja nos Salmos 90:10, Daniel 9 e textos afins), contando para frente depois de 1948, parece que isso nos indica que esse decisivo conflito, o qual levará à final confrontação referida no Apocalipse de João como a “batalha do Armageddon”, poderá acontecer em breve. Na visão de Ezequiel, o Irã (Pérsia), se torna o confederado número um com a Rússia (Gog) nessa invasão de Israel:

 

1 Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
2 Filho do homem, dirige o teu rosto para Gogue, terra de Magogue (a Federação da Rússia), príncipe e chefe de Meseque e Tubal, e profetiza contra ele,
3 e dize: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e Tubal;
4 e te farei voltar, e porei anzóis nos teus queixos, e te levarei a ti, com todo o teu exército, cavalos e cavaleiros, todos eles vestidos de armadura completa, uma grande companhia, com pavês e com escudo, manejando todos a espada;
5 Pérsia (antigo reino do Irã), Etiópia, e os da Líbia com eles, todos com escudo e capacete;

Ezequiel 38 1:5

 

Embora Ezequiel explique como acontece essa invasão a Israel, algo dá errado para o Irã, Rússia e seus confederados (que os levará a ficarem uns contra os outros, de acordo com o capítulo 38:21), onde não dá para lermos essa profética inspiração e ainda assim ficar sem entender os eventos sem precedentes que estão acontecendo em nosso dias atuais envolvendo o Irã e seus líderes, a Rússia e seus líderes, e o atual empurrão do presidente dos EUA forçando Israel a um então chamado acordo de paz com os Palestinos (cujos líderes abertamente clamam pela destruição de Israel e escravização dos Judeus), enquanto secretamente negociam um acordo nuclear com o Irã, um fato tornado público em Novembro de 2013.

 

“A administração de Obama, tendo o Secretário de Estado John Kerry em sua liderança, se juntou à comunidade internacional para chegarem a um acordo com o regime iraniano, visto por muitos como uma traição à Israel,”; são notas retiradas de um capítulo do livro de James. “Assim que as sanções contra o Irã em sua corrida no desenvolvimento de um programa nuclear para produção de armas tiverem tido um impacto, os EUA, em consenso com as potências mundiais que constituem a comunidade internacional, concordaram em liberar parte dessas sanções econômicas sobre o Irã.”

 

É claro que James enxerga através dessa falsa diplomacia e reconhece o importante, e até profeticamente estratégicas implicações dessas manobras maquiavélicas. O Primeiro Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, também enxergou através de tudo isso e duramente condenou o acordo nuclear com o Irã como sendo um enorme erro de política exterior. “O que chegamos na última noite em Genebra não foi um acordo histórico, foi um erro histórico”, disse ele antes de incluir: “Hoje o mundo se torna um lugar muito mais perigoso, pois o regime mais perigoso do mundo deu um significante passo para obter as armas mais perigosas do mundo.”

 

O ministro da economia de Netanyahu, Naftali Bennett, então afirmou: “Se uma maleta nuclear explodir daqui cinco anos em Nova Iorque ou Madri, será por causa do acordo assinado nessa manhã.” Ironicamente, a Arábia Saudita também vê essa manobra secreta dos EUA com o Irã como sendo uma traição, pois os sauditas possuem uma afiliação histórica com Washington, e que na história moderna também sempre demonstrou estar comprometida a proteger aquele reino do Irã. Esse novo acordo enfraquece as relações entre os EUA e a Arábia Saudita, um fato que, por si mesmo, já desestabiliza e colocam os eventos proféticos do Oriente Médio em andamento.

Dada a constante atitude do Irã em não honrar com tais “acordos” e à forte evidência de que ele está, de fato, desenvolvendo tecnologia para a bomba nuclear, assim como a obtenção de armas de destruição em massa (WMD) no mercado negro com suas claras ambições de aniquilar Israel, James descreve o que as pessoas que não vivem no Oriente Médio devem entender sobre a conclusão a que chegaram os judeus como Netanyahu a protegerem a si mesmos e sua nação, sem nem mesmo ainda mencionar a promessa de Deus sobre o mesmo assunto. Devido à sua declaração, Obama fait accompli (falhou), em seus acordos de paz com os inimigos de Israel e isso poderia resultar literalmente numa batalha da noite pro dia como descrito por Ezequiel e no livro de Apocalipse. As pessoas modernas hoje em Israel, desde civis até os governantes e militares, têm fortes recordações daqueles os quais prometeram exterminá-los, incluindo a Alemanha Nazista do passado e o atual Irã de hoje, onde eles sabem que devem sobreviver usando quaisquer métodos necessários escritos em seus coração até hoje na história. Isso foi refletido mais recentemente pelo próprio Netanyahu durante o Debate Geral em 2013 da 68a Sessão das Nações Unidas, quando o primeiro ministro, ante as nações do mundo, admitiu que Israel está no centro da profecia Bíblica, dizendo:

 

Num dia frio no final do Século 19, meu avô Nathan e seu irmão mais novo Judah estavam em pé numa estação de trem no coração da Europa. Eles foram vistos por um gripo de ativistas anti-semitas que correram pra cima deles portanto pedaços de pau e gritando: “Morte aos Judeus”.

Meu avô gritou para seu irmão mais novo para fugir e salvar a si mesmo, e então ele ficou sozinho em frente àquela multidão raivosa para tentar freiá-los. Eles bateram nele sem dó nem piedade e sem sentido algum, deixaram-no ali para morrer, e depois que acharam que ele tinha morrido, se cobriram com seu sangue, e ele disse a si mesmo: “Que desgraça, que desgraça. Os descendentes dos Macabeus se deitam na lama dos poderosos para se defenderem a si mesmos.”

Ele prometeu a si mesmo então que, se ele sobrevivesse, ele levaria a sua família até a terra natal dos judeus e os ajudaria a construir um futuro para o povo judeu. Estou eu aqui de pé como o primeiro ministro de Israel, porque meu avô manteve sua promessa.

E muitos outros israelitas possuem uma história similar, um parente ou avós, os quais fugiram de todas quantas foram as opressões concebíveis e chegaram a Israel para começar uma vida nova em nossa antiga terra. Juntos, transformamos um apedrejado povo judeu, deixado como morto, numa nação vibrante e competitiva, defendendo a si mesma com a coragem dos modernos Macabeus, desenvolvendo possibilidades ilimitadas para o futuro.

As profecias Bíblicas estão acontecendo agora em nosso tempo. Como disse o profeta Amós, eles reconstruirão cidades deixadas em ruínas e ali habitarão. Eles plantarão vinhedos e beberão de seu vinho. Eles farão jardins e comerão seus frutos. E plantarão em seu solo, de onde nunca serão retirados novamente.

 

Você pode ler todo o discurso da ONU feito por Netanyahu e não subestimem o compromisso judeu em sua autopreservação, mesmo se eles tiverem que fazer isso sozinhos. Enquanto o Presidente Obama cada vez mais enfraquece suas relações com Israel, a França, um dos membros do P-5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, mais a Alemanha), e a Arábia Saudita, reconhecem a ameaça que representa a Pérsia Moderna – Irã, não sendo profeticamente só contra Israel, mas possui implicações globais em termos de uma guerra nuclear mundial e se os EUA não ficarem do lado da terra de Deus e seu povo, os Sauditas e a França (por seus próprios interesses) oferecerão suporte logístico a Israel se estes ficarem acuados e forem forçados a atacar o coração de um antigo inimigo.

Esses recentes desenvolvimentos são apenas um dos cenários do que estamos experimentando em nosso tempo e são iminentemente importantes em Cauldron, e são um simples exemplo dos muitos que ainda mostrarei de maneira única do que está acontecendo no mundo e o que aguarda o leitor. Vocês devem prestar muita atenção a isso e a outros detalhes apresentados por Terry James, pois o que ele apresenta sobre o Oriente Médio afetará a sua vida e o futuro, assim como as vidas de todas as pessoas na terra. Entendendo esses eventos, os “sinais”, como são chamados na Bíblia, de capacitarão a tomar decisões e ações para você e sua família e encontrar a paz que ultrapassa qualquer entendimento, algo que todos nós com certeza precisamos para os dias que estão chegando.

Anúncios