DEUS SE USOU DA EVOLUÇÃO?

SERÁ QUE DEUS SE UTILIZOU DA EVOLUÇÃO QUANDO ELE CRIOU O UNIVERSO?

Muitos cristãos têm aderido à crença de que Deus usou o processo de evolução dentro de seu processo de criação. Eles sugerem que os seis dias de criação em Gênesis não seria dias literais absolutos de 24 horas, mas alguma forma de representação de um processo que durou bilhões de anos de evolução.

Eles aceitam a Bíblia como o livro de Deus, mas também aceitam as várias facetas da evolução como fatos inquestionáveis e são forçados a encaixar os tempo evolucionário nas páginas da Bíblia. Antes de vermos como essa coisa de evolução e Deus funciona, vamos analisar melhor o que é a evolução.

O que é Evolução?

A evolução no seu sentido mais básico é quaisquer processos de formação e crescimento; desenvolvimento, derivada do Latim que significa desenrolar, de acordo com o Dicionário Random House (2006). Existem muitas coisas que evoluem em nosso mundo. Tudo o que entendemos, no entanto, é que existe uma lenta e gradual modificação em vários aspectos da vida. Consideremos alguns exemplos:

Did God Use Evolution?

 

 

 

 

 

 

 

 

As Mudanças da Linguagem e na Cultura

Podemos falar da lenta progressão da língua portuguesa como um exemplo de evolução. O português de hoje é nitidamente diferente do que se usava no tempo de Dom Pedro. Ambos são o português, mas muitas coisas mudaram tão radicalmente que certas palavras e expressões têm um significado totalmente diferente hoje em dia. Uma mudança numa linguagem é algo que acontece de maneira lenta e aos poucos, mas todos concordamos que ela acontece. Devemos entender e considerar que as diferentes expressões que nossos pais usavam são diferentes das que usamos e essas serão diferentes da que nossos filhos usarão.

As Culturas também passam por um processo de evolução. A cultura do Brasil é sem dúvida hoje bem diferente da de 50 anos atrás. Coisas que eram consideradas inaceitáveis anos atrás, hoje são tidas como padrões. Em ambos exemplos, no entanto, estamos usando a palavra evolução para descrever uma lenta mudança que está acontecendo e nesse sentido ela é completamente aceitável. Afinal, essas mudanças são observadas linguisticamente e culturalmente por especialistas em seus respectivos campos e até mesmo pelo público em geral. Em outras palavras, podemos facilmente documentar e provar que essas mudanças realmente aconteceram, pois o ponto de início da análise é de 50 anos atrás e não 15 bilhões ou até mesmo 6000 anos atrás.

Da Micro para a Macro e para a Abiogênese

Usar a palavra evolução para descrever lentas e já acontecidas mudanças que testemunhamos em nossa língua e nossa cultura é realmente um uso correto do termo. Se essa fosse a única maneira de usarmos essa palavra, não teríamos nenhum problemas mas…a realidade é que a evolução têm tido um significado completamente novo; está sendo usada para descrever um processo de progresso do universo que começou com o Big Bang até os dias atuais. As diferentes fases da evolução incluem: partícula, galática, estelar, planetária, química, biológica e cultural. A evolução biológica suporta a explicação de como a vida surgiu da não-vida (chamada abiogênese) e então como esses organismos unicelulares eventualmente se transformaram em você e eu. Douglas Futuyama, um especialista renomado em evolução biológica escreveu: “No sentido geral, a evolução é meramente uma mudança, e assim sendo, permeia tudo; galáxias, idiomas e até mesmo sistemas políticos evoluem. A evolução biológica…é a mudança nas propriedades das populações de organismos que transcenderam a duração de vida de um indivíduo…Evolução biológica pode ser tênue ou substancial; ela engloba tudo, desde a mais sutil mudança na proporção de diferentes alelos numa população (como a que determina o tipo sanguíneo) até as sucessivas alterações desde os primeiros protoorganismos para caramujos, abelhas, girafas etc (Futuyama 1986)”

A definição acima, no entanto, nos leva a uma má interpretação. Dr. Futuyama deveria nos definir os três diferentes conceitos que ele está usando sob a imensa categoria da evolução biológica que são: Seleção Natural (adaptação a um meio ambiente, que às vezes é chamada microevolução), Evolução das Moléculas-ao-Homem (mudança na espécie, como dos répteis aos pássaros, que também pode ser chamada macroevolução) e Abiogênese (um pedaço inanimado de pedra até um organismo vivente unicelular). Nem a Bíblia e nem os criacionistas dos seis dias estão contra o conceito da Seleção Natural, que foi na verdade primeiramente introduzido pelo criacionista Edward Blythe. Mudanças na espécie das populações pela adaptação ao meio ambiente temos visto a ocorrer.

Charles Darwin notou corretamente que os bicos dos tentilhões nas Ilhas Galápagos mudavam de acordo com as condições climáticas. Ele chamou isso de evolução. Daí ele postulou sua teoria de que essas pequenas mudanças, no decorrer do tempo, poderiam explicar a existência de todas as criaturas na terra. No entanto Darwin falhou ao não perceber que os tentilhões continuavam a ser tentilhões. Eles nunca se transformaram em outra coisas que não fossem tentilhões. Darwin observou a habilidade das espécies em se adaptar ao ambiente que as rodeia (o que é facilmente creditado a um grande Criador) e daí ele fez uma mudança na fé, pois com o mágico elemento do tempo, uma criatura poderia se transformar em outra.

De Acordo com sua Espécie

A crença na evolução das moléculas-ao-homem – de que organismos unicelulares se transformam em criaturas mais complexas, que daí se transformam em outra e daí até eu e você – é que bate de frente com o que está na Bíblia e especificamente com os seis dias das criação. Gênesis 1:24 afirma especificamente que no quinto dia, E disse Deus: Produza a terra seres viventes segundo as suas espécies: animais domésticos, répteis, e animais selvagens segundo as suas espécies. E assim foi. Esse verso atuar como uma obstáculo intransponível para aqueles que tentam fazer uma ponte entre a (macro)evolução e a Bíblia. As palavras de Deus não podem ser desconsideradas aqui. Ele claramente diz que criaturas viventes diferentes se reproduziriam de acordo com sua espécie e não de um ancestral comum a todas elas. Ele então define o que Ele quer dizer ao enumerar as criaturas: “animais domésticos, répteis, e animais selvagens” deixando claro a impossibilidade de que todas vieram de uma criatura menor e mais simples do que elas. O  “The Theological Wordbook” do Velho Testamento explica:

“Algumas pessoas têm argumentado que quando Deus criou “min” [classe, tipo, espécie], ele então fixou as “espécies”. Essa é uma conclusão gratuita, pois a ligação entre a palavra “min” com a descrição dos biólogos do termo “espécies” não pode estar substanciada, pois existem muitas definições sobre espécies assim como existem biólogos…Deus criou formas básicas de vida chamadas “min” as quais podem ser classificadas de acordo com os biólogos e zoólogos modernos às vezes como espécies, às vezes gênero, às vezes família ou às vezes ordem. Isso não dá suporte à visão clássica evolucionista que requer desenvolvimentos através do reino, fila e classes.

Cães Ainda São Cães

Os animais reproduzem descendentes férteis de acordo com sua própria espécie, isso é o que vemos na natureza. Vemos centenas de variedades de cães, mas cães ainda são cães. Essa (causada amplamente pelo homem) variação nos cães também é chamada de evolução. Isso é mostrado no artigo da revista Seed chamado “A Evolução dos Cães Influenciada pelo Homem” (Anthes 2006), a qual não discute a macroevolução de como um não-cão se tornou um cão, mas como através da influência humana a domesticação dos cães deu origem a uma diversidade imensa de espécies caninas através de perigosas mutações genéticas para sobreviver. (Anthes 2006). Essa “evolução” aque Anthes se refere nada mais é do que uma variação dentro de um tipo. Não obstante, ela

Dog breeding is not macro evolution

também é aceita pelo Museu de História Natural em Londres, que diz que o cruzamento de cães é uma mostra de evolução. (Batten 1996). Aqui novamente nos é dado um exemplo da Seleção Natural (adaptação e variação, as quais são factuais e observadas) e nos levam a acreditar que isso é um equivalente da evolução moléculas-ao-homem.

No entanto, não existe uma “evolução” do cão no final das contas, mas apenas uma variação deles devido aos humanos. Interessante é que um estudo genético confirma que todos os cães tem um ancestral comum. “A maioria das raças têm sido desenvolvida ao longo de 500 anos, […] Antes dos humanos iniciarem o cruzamento de cães para determinados trabalhos ou tratamentos, os cães eram mais parecidos entre si em sua aparência e morfologia geral […]” (Dalke 2002). A multiplicidade de cães não é uma prova de sua evolução, mas uma manipulação do seu melhor amigo manipulando-o para que se adeque melhor ao homem. “Os cruzamentos nos dizem muito mais sobre as preferências humanas do que sobre cães […] As raças de cães são o resultado das preferências humanas – descendentes selecionados geração após geração.” (Dalke 2002). “A Evolução dos Cães Influenciada por Humanos” deveria ser melhor intitulada “O Cruzamento de Cães Feito pelo Homem”.

Anúncios

2 comentários sobre “DEUS SE USOU DA EVOLUÇÃO?

  1. Que discussões infindáveis e inúteis. Independente de sermos seres que vieram do macaco ou de microorganismos ou criados em seis dias: DEUS É DEUS e nada disso pode abalar a fé em Deus. Vocês ficam discutindo sexo dos anjos, isso tudo é palhaçada, apenas confiem em Deus, em Jesus, e façam amem seus semelhantes como vcs se amam (ou deveriam amar). E, parecem de bobagens e fixem na idéia central: DEUS.

    1. Obrigado pelo comentário. O intuito do site é algo que não compreendeste. O Deus mostrado na Bíblia e personificado pelo Filho o Senhor Jesus é diferente do Deus espírita, maçon, rosacruz, umbandista, e etc. Não é fundamentalismo e sim uma questão de crer na Palavra de Deus e interpretá-la de maneira correta. Leia todo o site antes de postar comentários infundados. Não estou querendo criar discussão nem atacar ninguém, só avisar de um grande engano que se aproxima. Cada um escolhe o lado que quer. Sei que muita coisa aqui escrita parece às vezes incompreensível ao homem comum, sem o discernimento do Espírito, mas hora chegará em que essas coisas se mostrarão e você irá lembrar do que leu nesse site e compreenderá. Cuidado com o Deus que escolhe. A palavra é a mesma, mas o verdadeiro Deus YHWH é um só, e ele se mostra a quem aceita Jesus como seu único e suficiente salvador.

Os comentários estão desativados.