Síria!

Comentários & Análise

por

L. A. Marzulli

Assad recebe seu último alerta para retirar suas tropas

DEBKAfile Exclusive Report July 15, 2012, 10:36 PM (GMT+02:00)
Parece que o Presidente Bashar Al Assad da Síria se encontra encurralado num canto bem estreito. Ele está se lançando num dos mais brutais derramamentos de sangue que temos visto nessa revolta árabe. Algumas imagens no Youtube vindas da Síria são chocantes. Nem desses vídeos que meu amigo e co-produtor da série Watchers, Richard Shaw descobriu, mostra um menino sendo torturado e morto. O banho de sangue continua na Síria, desestabilizando o país e a região. Enquanto isso nossa mídia de circo na TV se preocupa com os novos capítulos das novelas, Campeonato Brasileiro, A Fazenda, quem casa, quem separa e por aí vai. Qual dessas histórias deveria nos prender mais a atenção? Resposta: A Síria, e aqui vai o porquê.
Na minha opinião, não existe um SE vai ter guerra entre Israel e as nações muçulmanas ao redor dela, mas QUANDO. Uma hora o gatilho será puxado, um evento ou incidente acontecerá que fará explodir a guerra. Assad já ameaçou lançar uma chuva de mísseis em Tel Aviv se ele for atacado ou ameaçado. Assad é um esfomeado por poder, um ditador brutal que herdou sua posição de seu também brutal pai, que fora responsável pela matança de milhares de pessoas numa revolta similar no passado.
[Em Fevereiro de 1982, Assado ordenou o exército da Síria a bombardear a cidade de Hama para conter uma revolta da Irmandade Muçulmana. No que ficou conhecida como o Massacre de Hama, onde se estima a morte de 17 a 40 mil pessoas, incluindo mil soldados. Fonte:Hafez al-Assad – Wikipedia, the free encyclopedia
A Síria faz divisa com Israel e com os disputados Montes de Golã, que tem sido uma ferida aberta desde que Israel tomou possessão dessa área na Guerra de 6 Dias.
Assad deve ser considerado perigoso, instável e preparado para fazer qualquer coisas para se manter no poder, mesmo se isso significar a guerra com Israel. Ele já alcançou status de pária internacional, e com seu recente distanciamento do Rei Abdullah da Jordânia, ele não tem quase nenhum apoio de outros, a não ser do Irã. Ele é um leão ferido, logo, preparado para fazer qualquer coisa caso se sinta ameaçado.
Fechando o post de hoje: O Oriente Médio continua em erupção com o crescimento do número de vítimas na Síria e só aumentando. Acredito que Assad só tem uma opção, que é a de atacar Israel na esperança que os outros estados Árabes juntem-se a ele nessa empreitada. Seria esse um ataque coordenado com o Irã tendo apoio por trás da Rússia? Devemos manter nossos olhos no Oriente Médio de maneira geral, em particular na Síria, pois o estopim pode sair dali em breve…
Anúncios